2º ICLOC Jovem
» Leia mais

3º Seminário de Educação: Tendências sobre o ensino
» Leia mais

1° Debate ICLOC: "A Identidade do Ensino Médio e as propostas curriculares"
» Leia mais

1º Congresso iCloc



Levar o aluno a aprender a ler?

Mediadora: Eli Mantovani

Título:

INTERVENÇÕES POSSÍVEIS NO PROCESSO DE LEITURA/ESCRITA


Apresentação: Professoras Andréa Corrêa Luchesi e Denise Pinhas Pereira - Escola Espaço Vivavida
Área de conhecimento: Língua Portuguesa
Resumo do trabalho: Que tipo de intervenções o professor pode fazer, diante de crianças de uma mesma turma, que se encontram em diferentes momentos no processo de aquisição da leitura/ escrita? Pensar em estratégias e intervenções possíveis, olhar o aluno individualmente, proporcionando desafios diferenciados de acordo com suas hipóteses tem enriquecido o trabalho de sala de aula e favorecido o desenvolvimento pessoal de cada criança. Em nosso cotidiano esta questão recebe uma atenção especial, pois embora teoricamente seja uma proposta bastante difundida entre os educadores, na prática nem sempre é fácil concretizá-la.

Título:

GÊNEROS TEXTUAIS - TRABALHO COM CARTAS


Apresentação: Professoras Marcela Abreu Homem de Mello Cabral, com colaboração de: Luciana Toledo Andrade Soares e Verônica D’auria De Meo
Área de conhecimento: Língua portuguesa
Resumo do trabalho: A produção de texto é um dos principais objetivos do trabalho na área de Língua Portuguesa. Considerando os diferentes gêneros, o espaço da sala de aula é transformado numa verdadeira oficina de textos de ação global.

Título:

DA ORALIDADE PARA A ESCRITA: CONTINUIDADE OU RUPTURA?


Apresentação: Professoras/Assessoras Jacqueline Peixoto Barbosa e Cristiane Mori de Angelis
Área de conhecimento: Língua Portuguesa
Resumo do trabalho: Até a década de 1980, imperou uma visão dicotomizada entre ora l e escrita. De um lado, a oralidade era considerada como uma forma mais simples de linguagem, não-planejada e dependente do contexto. De outro, a escrita era tomada como uma forma mais complexa de linguagem, planejada e independente da situação de produção. À escola cabia trabalhar a escrita. Mais recentemente, trabalhos na área do desenvolvimento da linguagem vem apontando para soluções de continuidade e os documentos curriculares vem destacando a importância de a escola contemplar os gêneros orais públicos. O conceito de gênero, tal como proposto por Bakthin nos remete a uma importante consideração: não há um só oral, assim como não há um só escrito: há (gêneros) orais e escritos. Considerando todas essa contribuições, como planejar o trabalho com oralidade e escrita na escola hoje? Basta contemplar gêneros orais públicos? A escrita oralizada e a fala letrada nos textos (orais e escritos) dos alunos: contaminação ou interpenetração? Essas são algumas das questões que o presente trabalho abordará.

Outras exposições:

Livro, livros, livros... desde o maternal até o ensino médio.

Informática no dia a dia escolar.

Metodologias inovadores no ensino de línguas estrangeiras.

Pensamento científico na sala de aula.

Novos caminhos para a aprendizagem de história.

Sonhos na sala de aula.

Expressão através da música.

Corpo - Cuidados para um bom projeto de vida.

Desenvolvendo potenciais para além do currículo

Educando no dia a dia

Desafios para aprender matemática

Inglês e Espanhol - Da escola para a vida.

Arte com invenção